Azar o meu

Fonte: We heart It

Azar o meu se passei tantos anos tentando me recompor que acabei me perdendo no meio do caminho e já não sei se um dia vou chegar ao fim. Já passei por tantos fins e alguns recomeços, mas nenhum foi suficiente pra desacelerar a minha mania de superação. Ainda lembro o que sou e o que carrego todos os dias, e parei de lutar contra isso. Marquei o corpo, pintei o cabelo, descontei nos copos e na escrita e também sonhei. Não procuro por encerramento, e sim por paz. E se volta e meia eu me confundo e penso que significam a mesma coisa, azar o meu. (mais…)

Não, nós não somos obrigados a nada

Fonte: We heart It

Quando foi a última vez em que não nos sentimos obrigados a nada? Não, nós não somos obrigados, mas uma coisa é falar e outra é fazer. A verdade é que passamos a não nos sentirmos obrigados quando aprendemos a nos colocar em primeiro lugar. E isso não é ser egoísta, é ser justo com nós mesmos. (mais…)

Batalha contra o mundo

Fonte: We Heart It

Já cansei de batalhar contra o mundo. Com certeza essa não foi uma escolha sábia. De todas as batalhas que podemos escolher, parar de se ferir é a melhor delas. Então eu parei de deixar o mundo me decepcionar. Passei a esperar menos do universo e de mim mesma. Se volta e meia o mundo me desaponta, provavelmente é porque eu faço o mesmo. E não quero que essa relação de igualdade entre eu e o (meu) mundo me pressione a desistir.  (mais…)

Pra você que se sente perdido

Fonte: We Heart It

Eu deixei de lado a pretensão e parei de falar que eu sei o que você está passando. E por mais que eu tenha demorado a perceber, você é o único que sabe o que você sente. Sem contar os sonhos, eu não carrego muito comigo – apenas dúvidas. Você é uma incógnita pra mim. E, supostamente, era pra você ser o meu caso ganho, meu porto seguro e meu escudo. E agora acordo todos os dias tentando entender por que você se sente perdido. (mais…)

Entre malas

Fonte: We Heart It

É tarde, talvez muito mais tarde do que eu consigo sentir. Eu estou bagunçada entre malas incompletas, passado e presente. Futuro? Uma eterna ansiedade. Não faço ideia do que me aguarda, mas ando plantando coisas boas pensando na colheita. Não sei quais sapatos colocar na mala. Não sei nem quantas meias levar. Será que tenho que levar toalha de banho? Pedi ajuda das amigas via Whatsapp. Já falei que ainda não me acostumei com o fuso horário? Até alguém me socorrer, a minha mala e vida já vão estar prontas. Não, não é a primeira vez que faço as malas. Mas depois de tanto tempo segura, me sinto estranha por querer, espontaneamente, voltar pra linha de tiro. (mais…)

Follow on Feedly