Eu sempre fui amiga da minha vida. A maioria das vezes eu consegui compreender os desafios que ela colocava em meu caminho, por mais difíceis que tenham sido. Eu acho que sempre consegui entender os sinais que a minha vida me mandava, da mesma forma que sempre consegui me fazer entender. Até agora. Fala sério, não faço ideia do que a minha vida, muy amiga, está querendo para mim agora.

Vê se eu estou no momento de aturar a vida me falando sobre hormônios ou maternidade? Eu só queria ir viajar, colocar o carro na estrada, curtir umas praias diferentes e conhecer gente que não se prende. Vê se agora é um bom momento pra minha vida me encarar e dizer que está tudo bem, que eu não devo me preocupar, só seguir em frente? Logo eu que sou viciada em adrenalina e não sei como parar. Ou será que já estou parando?

A comunicação com a minha vida anda em ruínas. Provavelmente nem falamos mais a mesma língua. Será que ela me conhece melhor do que eu? Sinto que estamos fazendo planos diferentes. Eu tento seguir pela baladinha do sábado à noite, e ela me joga para um dia chuvoso com o cachorro no colo. Eu tento seguir para a dieta-agora-vai-esse-verão-vou-ser-magra, e ela me joga de frente pro espelho e faz eu gostar do que eu vejo. Eu tento seguir comprando o que não preciso – como sempre fiz, e ela me joga uma consciência de consumo da qual eu nunca tive.

Sinto que a minha vida está me fazendo abrir espaço, como se algo novo e grande estivesse chegando. Não está fácil entender os sinais que a minha amiga vida tem me mandado. O que ela quer? Para onde eu realmente tenho que seguir? Não procuro por paz e muito menos por conflito. Só quero ficar na minha varanda olhando o céu cor de rosa e desfrutando a minha vida com uma cerveja gelada. Em nenhum momento eu quis fazer tudo isso com um cachorro pedindo carinho. Em nenhum momento eu quis fazer isso planejando ser saudável. Em nenhum momento eu quis fazer isso sentindo que falta pouco para iniciar uma nova fase.

Tá que nem cabe no colo.. 🐶❤ #cattledog #blueheeler #puppy #myfamily

A post shared by Rebeca Stiago Cestari (@rebecastiago) on

Era para eu ter bicho carpinteiro em mim, oras. Era para eu ser aquela que não vai parar quieta, não importa o que aconteça. Era para eu querer emendar novidade atrás de novidade sem ter tempo para respirar. Era para eu estar no controle do que eu realmente quero, e não essa tal de vida. Quem ela pensa que é? Chega chegando, me encosta na parede e me diz como vai ser? E agora? Vai ser por pressão ou vontade? Quando foi que parei de me importar com o que eu achei que nunca pararia? Logo eu, que sempre fui avessa a roteiros e rotinas. Logo eu que sempre tive um papo reto com a minha vida, estou levando uma rasteira desse jeito. E o mais grave: desejando levar essa bendita rasteira.

E assim eu sigo, fingindo que não vejo os sinais que a vida me manda. Ela me manda uma surra de hormônios que me fazem planejar a árvore genealógica até os bisnetos, e eu desvio saindo pra passear com o meu cachorro. Ela me manda uma preguiça danada de sair de casa, e eu me entupo de energético e vou pra uma festinha sem sentido. Quem eu quero enganar? Eu sei que a minha vida manda em mim. Desconsidero crises de aflição e aquele desconforto no coração e só sigo em frente. Sigo por saídas que eu mesmo invento para problemas que eu mesmo crio. Não estou duelando contra a minha própria vida, mas se tem uma coisa que eu aprendi é que quanto mais difícil, melhor. E que não importa o que aconteça, a vida sempre sabe o que faz.

Aquela que fez da escrita o próprio divã. Crítica da vida alheia nas horas vagas. Curte um bom texto, vinho e jogar conversa fora. É viciada em paçoca e risadas. Tem coração bobo, cabelo pintado e desastres acumulados na cozinha. Atualmente mora em Sydney – Austrália.

57 comments on “Amiga da vida”

  1. Rebeca,
    Acho que todos passamos por fases da vida como a que está agora.
    O nosso organismo querendo uma coisa e nós outra…Esses dilemas da vida, acredito eu, ser algo que se resolve com tempo. Acho que o importante é manter a calma e não agir por impulsos…
    Bom, espero ter captado tudo que quis transpor com seu texto, que aliás, ficou muito bonito e bem escrito.

    Beijos
    Fran
    Achei e Rabisquei

  2. Oi Rebeca! seu texto me lembrou muito a época em que eu engravidei da minha Luna, eu finalmente estava como você disse “Amiga da Vida”, coisa que eu nunca fui, estava fazendo academia, tentando um yoga, trabalhando respiração pela ansiedade e estudando para concurso público, quando descobri que estava grávida, tinha 18 anos, parecia que tudo que planejei tinha caído bem em cima da minha cabeça de uma hora pra outra, mas pode acreditar, qualquer fase ruim ou boa passa! Beijos!

  3. Oi Rebeca, tudo bem? Que post mais incrível, você escreve muito bem. Acredito que a vida é cheia de altos e baixos, cabe a nós sabermos lidar com cada etapa. O bom é que cada uma delas tem algo a nos ensinar e se tivermos abertos, podemos amadurecer bastante. Gostei muito do seu cantinho. Parabéns pelo blog. Beijos, Érika *-*

  4. Já escutei da vida que para ir rápido na vida vá sozinho, mas se quer ir LONGE vá junto…
    A natureza nos impõe ciclos e mais ciclos, carregados de benesses e reveses. O que nos pode passar a sensação de “pertencer”, fazer parte de algo maior que nós, que nos domina e está intrínseco na saga humana do aprender a viver.
    Desejo que a luta hormonal, ou melhor dizendo para nós mulheres, “bagunça hormonal” não nos vede o olhar para o que está por vir Como muitos dizem: siga o fluxo.
    A autora continua me surpreendendo por conseguir falar de si sem ser piegas e mostrar a vida como ela é; bela por si não precisa de enfeites. Assim se torna um convite para viver sem mimimi. Saudações com minha mais elevada estima e apreço pela sua obras.

  5. Ahhh que texto mais lindo, quanto amor envolvido!
    Adorei conhecer seu blog e amei a forma como você escreve!
    A vida sempre prega peças na gente, algumas são até engraçadas e outras nem tanto. Mas o legal é saber, que tudo isso nos fortalece e nos torna mais fortes!
    Adorei seu blog, beijos!

  6. Sério mesmo dona Rebeca? Eu me preparando para casar, mudar de país, concluir “otras cositas más”, ver que meus pais ( e eu também ora bolas ) estamos todos envelhecendo, perceber que agora noto os bebês na rua e antes eu nem tinha idéia que eles existiam e você me joga um post desses? rsrsrs brincadeiras à parte, que bom que vc mesma achou a conclusão: a vida mesmo vai guiar para onde vc tem que ir e mostrar o que vc tem ( ou não ) que fazer. Te disse que eu estaria sempre por aqui… :-) Beijos! PS: que cachorro mais foto é esse meu Deus do céu!!!???!!!

    • Oinn fofa! Adorei o seu comentario, voce pegou bem a alma do texto. HAHAHAHAH Mas a vida acaba sendo danadinha na maiora das vezes nao? Mas vem ca, me chama no inbox vamos falar melhor sobre a sua ideia de mudar país HAHAHA. Obrigada por participar e pelo carinho. Beijo grande

  7. Eu sofro, sofro desta mesma inquietude tua. Sofro porque não queria gostar de onde a vida me levou, queria questionar estar aqui, queria não me acomodar. Mas, eu gosto. Eu, por incrível que pareça, gosto desta segurança. Mas, não gosto de gostar.

    Talvez seja isso, a maturidade de saber que a vida é sábia, né?

    Amei <3

  8. Li essa frase duas vezes Quando foi que parei de me importar com o que eu achei que nunca pararia? como Quando foi que parei de me importar com quem eu era na fila da padaria? Juro. Tive que ler uma terceira pra ver como realmente era, perceba como tô bem. Mas sim, me identifiquei em vários pontos e acho que o jeito que tem é deixar a vida seguir seguindo, e ir com o fluxo, o que acho mais louco é que parece que tudo é meio descontrolado, sem freio mesmo e a gente vai indo sem ter muita noção de onde/como vai chegar e quando ver as coisas simplesmente passam…


    Beijos
    Brilho de Aluguel

  9. Muito bom! Somos reféns da vida e do tempo, sim! Ambos são muito autônomos! Por quê a vida é tão abtoclítica, pavatizadora e fijeirástica? (Palavras que não existem; só pra complicar a vida mais ainda). (Rsrsrsrs…) Parabéns!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *