Aos espectadores da minha vida

Os espectadores da minha vida dizem que você foi a minha escolha mais errada. Aqueles que não pagam as minhas contas mas adoram cuidar do que eu faço, dizem que você me fez mais mal do que bem. Os amigos por conveniência me dizem que eu mereço um cara melhor ou curtir mais. As amigas que só são amigas quando estão solteiras, dizem que tudo vai ser aprendizado e que eu devo deixar passar. Mas quer saber? Que o mundo continue como espectador. Você jamais será o que eles querem que você seja e eu sou grata por isso. (mais…)

Unhas, dentes e suor

Se eu te contasse que nada pra mim foi fácil, com certeza você daria risada ou acharia que é drama. E eu entendo, é sério. Você simplesmente não sabe o que é ser alguém como eu e está longe para conseguir chegar perto de me entender – e vice-versa. Eu batalhei com unhas, dentes e suor por tudo o que tenho, caso você não saiba. E mesmo que eu não seja arrogante o suficiente para admitir as minhas conquistas, eu consigo assumir o quão difícil foi o percurso até aqui. (mais…)

Azar o meu

Azar o meu se passei tantos anos tentando me recompor que acabei me perdendo no meio do caminho e já não sei se um dia vou chegar ao fim. Já passei por tantos fins e alguns recomeços, mas nenhum foi suficiente pra desacelerar a minha mania de superação. Ainda lembro o que sou e o que carrego todos os dias, e parei de lutar contra isso. Marquei o corpo, pintei o cabelo, descontei nos copos e na escrita e também sonhei. Não procuro por encerramento, e sim por paz. E se volta e meia eu me confundo e penso que significam a mesma coisa, azar o meu. (mais…)

Não, nós não somos obrigados a nada

Quando foi a última vez em que não nos sentimos obrigados a nada? Não, nós não somos obrigados, mas uma coisa é falar e outra é fazer. A verdade é que passamos a não nos sentirmos obrigados quando aprendemos a nos colocar em primeiro lugar. E isso não é ser egoísta, é ser justo com nós mesmos. (mais…)

Batalha contra o mundo

Já cansei de batalhar contra o mundo. Com certeza essa não foi uma escolha sábia. De todas as batalhas que podemos escolher, parar de se ferir é a melhor delas. Então eu parei de deixar o mundo me decepcionar. Passei a esperar menos do universo e de mim mesma. Se volta e meia o mundo me desaponta, provavelmente é porque eu faço o mesmo. E não quero que essa relação de igualdade entre eu e o (meu) mundo me pressione a desistir.  (mais…)