Ontem eu li um e-mail com uma frase do Nelson Rodrigues: “O homem começou a própria desumanização quando separou o sexo do amor”. É impossível não ser atingida em cheio com essa citação. Para conhecimento de todos: no dicionário desumanização é a perda de determinadas qualidades morais humanas.

Não vou me aprofundar e falar sobre a decadência das qualidades morais humanas e nem vou bancar a feminista. Apenas vou aproveitar e fazer uma colocação, sem levar para o sentido sexual, já que o tema é tão polêmico. Acho que Nelson Rodrigues ou era muito frustrado sexualmente ou era muito inteligente. Sim, contraditório como sempre.

Não tenho nada contra o sexo, muito pelo contrário sou totalmente adepta.Porém acredito que no fundo da citação dele existe uma explicação para o fenômeno da liberdade sexual. Não que a liberdade não deva existir, apenas acho que a vulgaridade não deveria vir junto.A vulgaridade deveria estar presa e sem possibilidade de habeas corpus. Para mim existe uma enorme diferença entre liberdade sexual e ser vulgar.

Não acredito que tal liberdade tenha tornado o sexo fácil, acredito apenas que uma parte da hipocrisia sexual entre homens e mulheres foi deixada de lado. É simples: algumas mulheres sentem a mesma vontade dos homens, outras sentem muito mais e por aí em diante.

A questão é que junto com a independência sexual da mulher e toda a liberdade possível veio uma enorme confusão: mistura-se sexo com amor e vice-versa. Antigamente o sexo era permitido após o casamento, fazendo assim os homens casarem e as mulheres garantirem um marido. Sim, direta e reta.

O que acontece é que hoje o casamento não tem ligação de obrigatoriedade alguma com o sexo. Já dizia Arnaldo Jabor “O amor tem jardim, cerca, projeto. O sexo invade tudo isso”. Acredito que amor é sinônimo de segurança e sexo sinônimo de prazer.

Qual é a confusão então? Eu concordo que um é caminho para o outro e vice-versa, mas a mesma coisa não pode ser. Também acredito que a mistura de sentimentos e atitudes, digamos assim, atrapalhe a relação seja ela qual for. Ambas as pessoas que buscam sexo ou amor esbarram em uma única porta: o medo de não ser compreendido.

Sugestões:

Para ler: Amor é prosa, sexo é poesia (Arnaldo Jabor) – http://migre.me/67BX9
Para ouvir? Amor e Sexo (Rita Lee) – http://migre.me/67C1u

A foto do post é desse blog aqui.