Ontem eu estava no ônibus indo para a faculdade quando ouvi alguém atrás de mim falar: “Eu prefiro ser preso do que fazer trabalho comunitário”. Eu sou louca ou escutei certo? Sim, escutei isso e ele ainda completou: “Não acho justo eu trabalhar, melhor é ir pra cadeia”.

Onde foi que nossos valores se perderam? Precisamos reencontrá-los o quanto antes, por favor. Até onde eu sei cadeia é o lugar onde as pessoas que infringem as leis são mantidas. Não importa qual foi o crime e nem a relevância, crime é crime. Quem não cumpre as normas da sociedade vai preso – ou pelo menos deveria ir.

Também não irei discutir as leis e nem se a justiça é feita – sei que existem muitos ladrões de galinhas presos e muitos corruptos à solta. A chamada democracia em que vivemos é hipócrita, hoje a justiça é feita de acordo com os honorários pagos para o advogado. Fica a dica, vire advogado ou então ativista.

No caso o homem do ônibus tinha sido pego com posse de drogas e achou que estava sendo injustiçado. Ele explicava todos os seus pontos de vista para a acompanhante dele. Um dos argumentos foi: “eu acho que devem liberar a maconha”. Não entrarei nesse assunto agora, talvez em outro texto. O ponto é que a sociedade não está conseguindo lidar com o tráfico de drogas, por esse motivo está tudo bagunçado.

Uma cadeia muito chique

Uma cadeia muito chique

Ninguém mais teme ser preso, hoje em dia a cadeia é a solução. Mas não por justiça e sim por desapego. Desapego aos valores sociais e até morais. Está na moda ser bandido – estilo Zé Pequeno. Onde vamos parar desse jeito?

Já dizia Raul Seixas “a solução é alugar o Brasil”. Mas não sei quem vai querer ser o locatário e muito menos a “imobiliária”. Está tudo em decadência, desde a política até os valores sociais. Desde a rede elétrica até o tratamento da água. Desde a preservação das florestas brasileiras até o tratamento de lixo.

Lixo? O Brasil é grande e belo demais para entrar na lixeira. Vai de cada um, mas eu realmente acredito que devemos investir mais em educação. Devemos mostrar para o futuro no que acreditamos. Mas quando penso nisso logo fico com medo, ao mesmo tempo em que eu posso ensinar o meu filho que roubar é errado, algum pai desnaturado pode ensinar como acender um cigarro para o filho.

Cuidado, estamos com os dias contados. Não pelo fim do mundo em 2012, mas pelo fim do Brasil.

Imagem de – http://migre.me/5QjAB