Começo o texto de hoje com uma citação da Jane Austen: “Eu não quero que as pessoas sejam muito agradáveis, pois isso me poupa o trabalho de gostar demais delas.” Dito isto, eu pergunto: existe frieza maior do que essa? Ou será defesa? Eu não sei o que a fofa da Jane Austen passou para agir dessa forma, mas com certeza foi algo relacionado a defesa pessoal.

É reflexo número 1 do ser humano se defender. Já repararam que quando a gente leva um susto a primeira reação que temos é de movimentar os braços, arregalar os olhos, tremer e trancar a respiração? Um motivo para isso: estamos estimulando a nossa defesa. Afinal, viemos dos animais não é? Fomos feitos para atacar e defender – de preferência atacar os inimigos e defender os nossos.

Não importa o que seja, desde uma crítica até uma fofoca, é impossível não acionar o nosso sistema defensivo e irmos à luta. Mas calma lá, não acredito que funcione desse jeito. Acho que temos que desacelerar este sistema e pensarmos um pouco mais antes do ataque. Isso evita ações desastrosas e impulsivas. Isto evita nos tornarmos frias e calculistas como a Jane Austen. Não que eu a conheça, infelizmente não tive esse privilégio, mas acho muita frieza da parte dela.

Coração de Gelo

Vai ver que quando ela escreveu isso passava por um momento gelado da vida. Sabe como é, as pessoas “estão”, as pessoas nunca “são”. Você não “é” feliz, você “está” feliz. Todos os momentos são passageiros. Então manter-se fria é uma forma de estar segura, certo? Ou talvez seja uma forma de não precisar justificar nada. Vai saber.

Quando você é uma pessoa extremamente emocional, é meio óbvio quando você gosta ou não de alguma coisa. Afinal você é transparente e muito decifrável. Mas quando você é fria, você é aquela que não passa reação nenhuma, emoção nenhuma, você está totalmente distante dos acontecimentos mesmo quando se está próxima. Contraditório?

Quer dizer, quando você não se entrega, não reage, ignora e fica indiferente, automaticamente você está atingindo a pessoa que tentou iniciar a comunicação. E é fato, para a comunicação existir é necessário um emissor, uma mensagem e um receptor. Se o receptor estiver ausente, você fala com o vazio. E o vazio é inexistente, cai em meio ao vão.