Essa semana li que Emma Watson vai parar de atuar por um ano para focar no estudo do Feminismo. E eu achei lindo de ver. Logo na sequência apareceu uma matéria que falava que a atriz tinha se cadastrado em um site focado no prazer feminino. E o que o cadastro da atriz Emma Watson em um site sobre o prazer feminino pode nos ensinar? Muita coisa.

Primeiro de tudo me desculpe, mas não acho que estar cadastrada em um site focado no prazer feminino é pauta para notícias. Sinto que só virou notícia porque ela é mulher. Será que se fosse um ator cadastrado no PornHub, por exemplo, viraria notícia também? É tão incomum assim que nós mulheres estejamos interessadas em ler mais sobre sexo? Será que colocarmos as nossas vontades na mesa é tão chocante assim? Se for, sinto muito, mas saia da mesa. Porque é exatamente assim que as coisas vão ser agora: tudo às claras.

Não sei porquê precisamos fingir que não gostamos e nem nos interessamos pelo nosso próprio prazer. É sério que ainda somos vistas como instrumentos de prazer masculino? Desculpa, achei que já tínhamos superado essa fase. Não somos mais submissas – exceto quando estamos fantasiando com submissão. Um dos mandamentos deveria ser: mulher nenhuma é promíscua por querer sentir prazer. Não deveria ser óbvio que a nossa sexualidade não define quem nós somos?

Sou muito a favor da produção de conteúdo focada no público feminino e que trate sobre comportamento e sexo. Gostaria que os canais de comunicação fossem cada vez mais pensados para as mulheres. Quantas mulheres não estão por aí fingindo em uma cama fria com um cara que não dá a mínima para o prazer dela ou simplesmente não sabe como dar prazer à ela? Se você se identificou com isso, por favor, pare de fingir.

Fonte: We Heart It

Fonte: We Heart It

Talvez seja uma boa hora para criar a campanha: mulheres, mostrem como vocês gostam. Com certeza a Emma Watson ia apoiar a minha campanha, vocês não acham? Sinto, pelo pouco que acompanho da atriz, que ela sabe o óbvio: as mulheres gostam de sexto tanto quanto os homens – ou mais, por que não?

Tem tanta mulher mais macho que muito homem, não é? E eu sinceramente não entendo porquê para sermos “bem vistas”, precisamos nos comportar como Amélias, esperando um príncipe e querendo uma penca de filhos. À todos os relacionamentos “papais-mamães” por aí afora, só digo uma coisa: eu sinto muito pela castração que a nossa sociedade fez e faz. 

Deveria ser ensinado nas escolas que nada do que você faça na cama será diretamente proporcional a quem você é. Afinal sexo não é definição, é prazer. Nada do que você faça na cama deveria fazer você ser julgada. Porque sexo não é julgamento, é libertação. E nada do que você faça na cama te faz ser melhor ou pior do que alguém. Simples assim.

Mulheres, mostrem muito além do que vocês gostam na cama. Mostrem o corpo de vocês, que é lindo como é. Mostrem que sacanagem também é coisa feminina. Mostrem onde fica o clitóris. Mostrem que falar besteira também é coisa de mulher. Mostrem que rapidinha também é bem vinda. Mostrem que a luz acessa também agrada. Mulheres, tomem as rédeas, fiquem por cima e gozem. E acima de tudo, sejam mais parecidas com a Emma Watson e tenham interesse pelo próprio prazer.