Ela está cansada de ser certinha, da mesma forma como está cansada de se sentir sozinha. Parece que não basta ser inteligente, é preciso ser algo a mais. Acontece que ela não descobriu o que é esse “a mais”. Ela se empenha, tenta acompanhar o ritmo e mesmo não é suficiente. Então o que é?

Ela quer ser o foco e quer a atenção, mas isso também não basta. O pouco de bipolaridade que possui também a faz querer não ser notada. Então o que é preciso? É difícil você falar que ela está se saindo bem? É pedir muito? É claro que não.

Quem é ela afinal? Existe algum motivo para essa atração? Quem explica a forma como ela te faz sentir? Quem explica a forma como ela te faz agir?

Ela é a mesma que adora sorvete e a que fez do caminho de terra uma lembrança. Ela é a mesma que aprendeu a ser feliz, da mesma forma que aprendeu a superar. A ingenuidade continua firme e forte em sua personalidade, a diferença é que agora ela aprendeu a desconfiar.

Ela está cansada de saber o que não quer. E enquanto isso ela pode fazer o que? Diga-me você: nada, tudo, pouco, muito? Ela só quer encontrar aquele tal caminho, o que ela vê todos seguindo. Não deveria ser tão difícil, mas é. O lógico para ela não funciona, ela não serve para seguir a massa.

Massa para ela seria não se preocupar. Ela só precisa ouvir alguém dizer que tudo ficará bem. Ela só precisa ouvir alguém dizer que estará lá por ela. Não é muito, ela precisa parar de se sentir sozinha. Ela quer ser livre, mas com alguém do lado. Pode ser você? Não, não pode. Além de contraditória ela é exigente também.