Mãe, eu sou bi. Eu sei que você ia preferir que eu te falasse que eu passei no vestibular, que arrumei o quarto ou desci o lixo. Mas a verdade é que o único que tenho pra te contar é que eu sou bi. Não fique chocada. Fique orgulhosa da sua filha. Sou dessas que não se prende ao gênero, apenas a seres humanos incríveis. E sinceramente, se a pessoa for incrível e cheia de conteúdo, não me importa se é homem ou mulher.

Não que eu desconsidere a beleza da anatomia feminina ou da força masculina. Não que eu desconsidere um toque delicado e uma visão do mundo parecida com a minha. Só gostaria muito de poder desconsiderar todos os estereótipos a respeito da sexualidade. Como que faz? Não deveríamos todos sermos felizes independente de quem somos ou do que gostamos? Não foi a senhora que me ensinou que meninos podem brincar de boneca também? E que tudo bem se eu usar roupa azul? Então o que que tem se eu me relacionar com mulheres?

A senhora sempre pregou a igualdade – mesmo que esse movimento não seja respeitado e esteja meio obsoleto. Então eu realmente preciso de um bom motivo para evitar relacionamentos com cabeças condizentes com a minha – um par de seios não é motivo suficiente. E muito menos a opinião alheia.

Mãe eu sou bi

Eu não sei o que é para uma mãe saber disso. Espero mesmo que quando eu for mãe não exista mais essa hipocrisia social. Aí minha filha vai falar: “mãe fiquei com uma menina na festa, mas ela não responde minhas mensagens.” E eu vou rir, porque independente de sermos homens ou mulheres, os joguinhos de relacionamento são sempre os mesmos.

E só pra você saber mãe, eu serei sempre a mesma. Independente de quem tá na cama comigo. Não me considero menos mulher, muito pelo contrário. Só consigo me considerar quando eu estou sendo verdadeira. Então mãe, eu sou bi sim. E não era pra verdade doer. Não era pra verdade me colocar de castigo volta e meia. Não era pra verdade ser escondida no almoço do domingo e muito menos nas ruas. Não era para a verdade fazer a vizinha falar de mim para o porteiro. Não era para a verdade fazer as mães das minhas amigas me proibirem de sair com elas. E acima de tudo, não era para a verdade precisar de explicação.

Eu realmente acreditei que a verdade fosse o melhor caminho para a liberdade, como a senhora me ensinou. Mas as pessoas me olham estranho e comentam sobre quem segura minha mão nas ruas. A verdade me transformou em um alvo que eu nunca quis ser. E quem acerta as flechas em mim são pessoas reprimidas e atrasadas. Eu sinto pena por eles. Mas não posso julgar, não sei o que a mãe deles os ensinou.

Eu sei que a senhora me ensinou a ser feliz dentre todas as adversidades. Mesmo aquelas em que nada se possa fazer. Então eu estou sendo. Sou feliz e não julgo os outros. Sou feliz e não me apego em padrões. Sou feliz e não acho que são as leis dos homens que devem escolher por mim. Mas mãe, como faz pra ensinar aqueles que me julgam e perseguem? E como faz para ensinar aqueles que invejam o meu jeito bem resolvido de ser? Mãe, tá faltando educação no mundo. 

Aquela que fez da escrita o próprio divã. Crítica da vida alheia nas horas vagas. Curte um bom texto, vinho e jogar conversa fora. É viciada em paçoca e risadas. Tem coração bobo, cabelo pintado e desastres acumulados na cozinha. Atualmente mora em Sydney – Austrália.

43 comments on “Mãe, eu sou bi”

  1. Que texto incrível. Não sei se você é mesmo bi, mas eu sou. Contei em uma discussão com minha mãe tempos atrás que também gosto de meninas, mas ela meio que falou dois segundos sobre ser algo que passa, ignorou e nunca mais falamos disso.
    É complicado.
    Você escreveu bem demais e embora eu fosse deixar para comentar amanhã, não resisti. Ninguém merece essa hipocrisia social, os julgamentos, a mania das pessoas de quererem controlar nossas vidas.
    Amei o post e amei o texto, mil beijos, beca.

    • Oiii Beca! Nao sou bi nao.. foi um texto ficticio mesmo. Mas sabe, fiquei surpresa com a repercussao. Muitas meninas me procuraram e falaram a mesma coisa. Sobre o quao dificil eh conversar com os pais sobre. Talvez seja hora de revermos mesmo o quanto nos deixamos levar pelo que DIZEM ser certo/errado. Eu realmente espero que sua mae repense ou converse contigo sobre tudo isso novamente. As vezes ela nao sabe como tambem. Acho complicado e delicado, mas nao impossivel. Temos sempre que ir quebrando todas essas barreiras ridiculas e impostas por nao sei quem. Fico muito feliz que voce curtiu o texto e se identificou com ele. Beijao Re! <3

  2. Oi, Rebeca! Primeira vez que estou aqui e já fiquei boba com a profundidade do seu texto.
    Tipo isso: “E só pra você saber mãe, eu serei sempre a mesma. Independente de quem tá na cama comigo.” <3
    Eu não sou bi, mas concordo plenamente que não seria mais ou menos mulher por isso. E nem acho que ser bissexual é um momento de indecisão. Admiro muito porque acaba que quem é bi lida tanto com os dramas das parceiras mulheres quanto com os traumas dos parceiros homens rs
    Um beijo e continue compartilhando textos assim!

    Ah, se me permite, duas perguntas: a) esse texto é vida real mesmo? b) vc pretende mostrar pra sua mãe? Eu acho que ela merece ler o respeito que vc tem por ela e o quanto a considera <3

    • Oii Livia! Seja bem vinda ao blog. Fico muuuuito feliz que voce gostou do meu texto. Concordo com voce, nada disso define a pessoa. Nao, eu nao sou bi. Foi um texto ficticio mesmo.. E sim, minha mae assina minhas newsletter e ela ja deve ter lido. (Ate esqueci de perguntar o que ela achou) HAHAHAHA. Muito obrigada por participar. Beijo grande!

  3. É isso aí, sua mãe vai entender, o que importa é a sua felicidade, e isso que sempre prego lá em casa, converso demais com meus filhos sobre tudo que é possível, pois estão novinhos ainda, mas indiferente de tudo, o que quero que sejam é felizes, se eles estiverem eu estarei!

  4. Adorei o texto, e na minha opinião ser feliz só depende de nós mesmo então o que importa se curtimos homens ou mulheres? Se somos magras ou gordas, o povo tem de parar de julgar os outros e começarem a olhar seu próprio umbigo.
    O importante é ser feliz e estar bem consigo mesmo, então SEJA.

    Bjs

  5. “Sou feliz e não acho que são as leis dos homens que devem escolher por mim. Mas mãe, como faz pra ensinar aqueles que me julgam e perseguem? E como faz para ensinar aqueles que invejam o meu jeito bem resolvido de ser? Mãe, tá faltando educação no mundo. ” LACRADORAAAAA apenas!!
    Sempre falo que só gente infeliz consigo mesma tem inveja e é a verdade, gente feliz não julga os outros, tá faltando gente feliz no mundo e amor e educação.
    Você escreve muito bem, menina, sério!!
    Beijinhos,
    Duda
    http://www.ensaiopoetico.com/

  6. Nossa Re… você escreve BEM DEMAIIIS. Estou impressionada. Tenho amigas que foi muito difícil contar para mãe, e até A MINHA FAMÍLIA fez preconceito, falaram que tinham medo que eu saísse com ela e acabasse gostando de mulher -tipo que. Minha família é bem tradicional em relação a isso, e é complicado.
    Tive que sentar com eles, expliquei que não era bi, mas que mesmo se fosse isso não seria um problema. E defendi minha amiga. A família dela também reagiu super mal, descobriram da pior maneira. Mas agora estão todos bem hahah

    Beijos, Love is Colorful

    • Oiii Barbie! Obrigada pelo retorno. Depois que publiquei o texto muitas meninas me procuraram. E eu fiz sem pretensao sabe? Mas fiquei chocada com a repercussao e o quao comum acaba sendo todo esse preconceito. Que bom que, no seu caso, todos ficaram bem no final! HHAHAHA Beeeijo

  7. opção sexual não se aprende em casa, nem em lugar nenhum. mas de fato o respeito pelas pessoas e a tolerância pelas diferenças realmente sim. Isso é educação. E a intolerância desse mundo é falta dela. Ah se todas as mães ensinassem a aceitar as diferenças e ser feliz com as adversidades.

    Mais um texto incrível. Parabéns sua linda!
    Vou compartilhar com umas amigas que vão se enxergar bem nesse texto.
    Beijoooos!!!

    • Oii Camila! Realmente, nao se ensina em casa mas deve ser conversado de maneira clara. Pra mim acaba sendo simples e sem misterio. Meio facil falar ja que sou hetero, mas pra muita gente ainda nao eh! #socorro Obrigada por participar do blog. Beijinhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *