Eu fiz uma tatuagem há um tempo, tipo um ano. Uma frase Beatles clichê e três pássaros. E volta e meia minha mãe me fala: “Filha, tatuagem é pra sempre. Não vai sair mais”. E ela pode não ter percebido, mas é exatamente por isso que eu fiz. Eu precisava de um contrato vitalício comigo mesma. Então eu me marquei. E essa marca está ali pra me lembrar que sou mais do que penso ser. Pra me mostrar que é possível e que não importa o que mais aconteça na minha vida, eu não vou precisar enfrentar nada sozinha. E é óbvio, pra dar um tapa na minha cara sempre que eu me olhar no espelho e não ver o que realmente está lá para ser visto.

Eu sei que é meio contraditório eu ter uma tatuagem com pássaros, se eu levar em consideração o medo que eu tenho deles – mesmo que seja um medo recente. Quer dizer, eu acho os pássaros seres super traiçoeiros. Eles voam em direção à tua testa de propósito. Eles podem ser cruéis ou cantarem lindamente. E Prometeu, o deus grego, que o diga, mas eles comem fígados por aí afora, só para castigar as pessoas que se doam demais. Tudo isso só pra lembrar o quanto nós somos frágeis. Talvez porque nós não voamos, talvez porque nós não somos leves o suficiente. Ou talvez porque nós nos deixamos pesar demais. E eu queria muito poder voar.

Minha tatuagem
Na hora H da tatuagem… com a fofa da Dani Tattoo Mãos de Fada (contato via e-mail: fadadarte@hotmail.com).

Mas o que eu acho mais traiçoeiro ainda, é fingir que não tememos, que está tudo bem, que o nosso fígado não está sendo devorado. Então eu guardo os meus pássaros por aqui, junto com os meus medos. Porque tê-los pertinho de mim acaba sendo a minha prova de realidade e do quanto o mundo pode ser cruel se eu baixar a guarda. Eu deixo eles aqui, perto o suficiente pra sentir a batida do meu coração, e pra manter o bom e o ruim em equilíbrio constante. O medo e a coragem em eterna luta – sem desistir jamais.

Não espero que minha coragem vença o meu medo e nem o contrário. Não procuro por um vencedor pra definir quem eu sou – valente ou covarde. Preciso sentir minhas aflições e a minha bravura se dilacerando e lutando pelo o que eu acredito. É assim que a minha sanidade mental funciona. Preciso sentir que depende de mim, e que seu eu me desequilibrar, posso cair para qualquer um dos lados. E eu sei que volta e meia a gente sangra e se machuca pra sentir o gostinho que a vida tem. E é por isso que eu acredito que manter a nossa base em equilíbrio constante evita que as dores se transformem em rotina.

Volta e meia eu me olho no espelho e lembro que os pássaros são livres – de um jeito que eu jamais conseguirei ser. E por mais nômade que eu tenha me tornado agora, tem muita coisa que eu não deixo para trás. Talvez eu faça dupla com o Prometeu, o deus grego, amarrado à uma pedra e entregando meu fígado para um pássaro todos os dias. Só pode ser isso, porque dói muito. E exatamente como ele, eu dei mais do que recebi.

Tanta coisa que eu carrego comigo sem nunca ter tatuado em mim. Então, quando fiz a minha tatuagem foi porque eu queria tirar força de algum lugar. E, com certeza, deixar registrada a minha luta diária. Talvez a tinta no meu corpo precise de mais tempo para agir, vai saber. Ou talvez esse lance de tatuagem é totalmente psicológico – como tantas coisas em minha vida.

A questão é que eu precisei de pássaros encravados na minha pele para sentir uma liberdade ilusória. Eu precisei tatuar o meu medo para me sentir forte o suficiente para enfrentá-lo. Eu precisei de uma distração para poder encarar o espelho. Eu precisei ser arrogante o suficiente para comparar a minha dor com o castigo do deus grego Prometeu. E acima de tudo, eu precisei assumir o que é quase insuportável de admitir olhando para mim mesma. E tudo isso dói mais do que fazer uma tatuagem.

Aquela que fez da escrita o próprio divã. Crítica da vida alheia nas horas vagas. Curte um bom texto, vinho e jogar conversa fora. É viciada em paçoca e risadas. Tem coração bobo, cabelo pintado e desastres acumulados na cozinha. Atualmente mora em Sydney – Austrália.

37 comments on “Tatuagem”

  1. Seus textos são simplesmente perfeitos, “E acima de tudo, eu precisei assumir o que é quase insuportável de admitir olhando para mim mesma. E tudo isso dói mais do que fazer uma tatuagem.” Você não se iludiu ouse sabotou, você se entregou a verdade, isso se chama coragem. Coragem para saber quem é e para persistir pelo que acredita.
    http://www.charme-se.com/

  2. Essa foto tá linda, haha, bem divertida. E que texto intenso, Beca, tão intenso quanto a tatuagem eterna. ” Talvez porque nós não voamos, talvez porque nós não somos leves o suficiente. Ou talvez porque nós nos deixamos pesar demais.” […] Talvez a gente tenha medo de ser leve, de ser levado por qualquer ventania, de não pesar o suficiente para continuar forte.
    Qual frase que você tatuou? Let it be? Pássaros são lindos e poéticos para tatuagem e foi bem corajoso da sua parte tatuá-los tendo medo deles.
    Gostei muito do post, Beca, um beijo ♥

    • Oii Duda! Realmente na hora de fazer uma tattoo, procura la dentro de voce o que te faria bem. Tem que ter significado. Nao faz somente pela modinha nao.. se nao voce vai enjoar rapidinho. Fico muito contente que voce curte meus textos! Obrigada mesmo. Beijinhos *-*

  3. Rebeca adorei tua explicação sobre a escolha da sua tatuagem. Sabe você não é a primeira pessoas que vejo que tem por medo aquilo que mais temem. E sabe acho que essa é a melhor forma lidarmos com nossas fraquezas, as transformando naquilo que nos dá forma.

  4. Sempre quis me tatuar e sei exatamente o que eu quero, mas meu pânico de agulhas é animal e eu não vejo isso acontecendo tão cedo HEUHUEHUE
    Mas oh, adorei seu texto e a sua relação com a sua tatuagem <3

    Beijocas

  5. Eu acho simplesmente fantástico sempre que alguêm tatua algo significativo, significativo de verdade, não algo como aquelas frases bobas de facebook que alguem acha que é singificativo mas algo assim com a mesma intensidade que vc fez e sabe dizer com toda convicção o por que
    acho bem válido isso se marcar com algo que vale a pena, aquela mensagem pessoal que parece que transborda uma espécie de energia cada vez que vc olha
    achei muito bonitos os seus motivos e quando eu fizer uma tatuagem quero poder falar da minha assim como vc fala da sua… com amor… com convicção…

    http://www.meumuraldeideias.com

    • Oii Marcelle! Seja bem vinda ao blog. Acho que pra fazer uma tatuagem PRECISA ser algo forte e com significado. Concordo com voce, realmente aquelas frases de Facebook e modinhas nao me representam. Tenho certeza que quando voce fizer a sua, e for algo que realmente signifique algo pra ti, voce vai poder falar da sua tattoo da mesma forma que eu! =) Obrigada por participar do blog. Beijinhos

  6. Quando eu fiz a minha eu também quis tirar forças de algum lugar. Eu briguei pra fazer ela, comigo mesma. Queria porque queria.. E hoje eu não me arrependo não mas só penso que eu poderia o resultado poderia ser igual ou melhor mas feito tudo com mais calma e menos vontade de provar alguma coisa, sabe?

    • Oii Isa! Super entendo. Volta e meia eu penso isso da minha.. (porque resolvi fazer tipo em menos de 15 dias) HAHAHAAHAH Mas tem coisas que sao assim mesmo, no impulso que da certo. Obrigada por participar. Beijinhos

  7. Fazia um tempinho que eu não aparecia aqui por conta da correria de faculdade e trabalho. Achei esse texto tão profundo, afinal quem não tem medos? Tatuar seu medo parece uma forma muito forte de encará-lo, a gente sempre vive tentando uma forma de vencê-los, mas depois de ler seu texto fiquei pensando que talvez os medos não precisem ser vencidos, mas reconhecidos e encarados como uma forma de nos fortalecer.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *